Municípios das regiões Noroeste do Estado e Triângulo Norte vão ter barreiras sanitárias para evitar a circulação de pessoas e as forças de segurança serão utilizadas para que as regras sejam adotadas. Eles vão permanecer nessa fase do programa Minas Consciente por pelo menos 15 dias.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, confirmou a criação de uma Onda Roxa do programa Minas Consciente, que impõem medidas mais duras contra a propagação da covid-19 em cidades que apresentaram risco iminente de colapso na saúde pública devido à doença.

Minas Gerais determinou que as cidades incluídas na “onda roxa” do Programa Minas Consciente, plano estadual para conter o contágio do novo coronavírus, adotem o toque de recolher todos os dias da semana das 20h às 5h. A princípio, a medida restritiva será obrigatória em duas regiões: Noroeste e Triângulo Norte

CLIQUE PARA CONFERIR QUAIS SÃO AS CIDADES DE MG INCLUÍDAS NA “ONDA ROXA” QUE TERÃO TOQUE DE RECOLHER A PARTIR DESTA QUINTA-FEIRA.

De acordo com o governo, a restrição terá validade de 15 dias, mas os índices epidemiológicos serão avaliados diariamente para definir as restrições. “Espero que seja suficiente, mas estaremos revendo sempre que for necessário”, declarou o governador Romeu Zema.

O anúncio foi feito durante uma coletiva de imprensa do chefe do executivo estadual, que foi transmitida através de uma live realizada nos perfis oficiais de Zema nas redes sociais na tarde desta quarta-feira (3). Além do governador de Minas, estavam presentes o secretário de Estado de Saúde, o doutor Carlos Eduardo Amaral, e a superintendente de Vigilância Epidemiológica Janaína Passos de Paula.

Onda Roxa

As regiões Noroeste do Estado e Triângulo Norte foram enquadradas nessa Onda Roxa e vão permanecer com medidas de restrição pelos próximos 15 dias. Após esse período, a situação vai ser analisada novamente, podendo se manter ou deixar essa fase. 

Além dos casos confirmados e de óbitos relacionados a covid-19 nessas duas regiões, os sistemas de saúde desses municípios estariam sobrecarregados por receber casos de prefeituras vizinhas. Dessa forma, o governador Zema explicou porque essas duas regiões foram enquadradas na Onda Roxa. 

“É importante falar que os prefeitos de Uberlândia e Patos de Minas, cidades polos do Triângulo Norte e Noroeste de Minas, já tomaram medidas duras e restritivas, mas não foram suficientes.

Confira quais são as medidas de restrição que essas cidades devem adotar:

– Toque de recolher das 20h às 5h
– Suspensão da atividade do comércio não essencial
– Suspensão de cirurgias eletivas
– Apoio das forças de segurança
– Moradores só poderão sair de casa para atividades essenciais
– Uso obrigatório de máscara em qualquer espaço
– Proibição de circulação de pessoas com sintomas de gripe
– Proibição de reuniões de família, festas e shows 
– Implantação de barreiras sanitárias de vigilância

Medida obrigatória 

Nessa fase, as cidades não vão ter opção de aderirem ou não ao programa Minas Consciente. “Ela (Onda Roxa) não é opcional. Antes, cabia aos prefeitos decidir se iria ou não aderir ao programa Minas Consciente. Agora, não há mais essa opção porque estamos falando de um possível colapso na saúde desses municípios. A prefeitura que estiver nessa onda terá duras restrições a comércios não essenciais”, afirmou.

A superintendente de Vigilância Epidemiológica Janaína Passos de Paula lembra que é importante seguir todas as medidas de isolamento para que essa fase passe o mais rápido possível. 

“O importante nesse momento é que toda população tenha consciência de que a situação assistencial nesses dois territórios está complexa e que todos precisam colaborar. Todos precisam ficar em casa. Não aglomerar, não fazer festa e sair só quando for essencial. É importante que a população siga as orientações para que não entremos em colapso”, Janaína. 

Onda Vermelha 

O governador de Minas, Romeu Zema, explicou ainda que as regiões Triângulo Sul, Norte do Estado e Leste do Sul estão na Onda Vermelha do Minas Consciente, anterior a Onda Roxa. Os municípios que compõe as três áreas de Minas estão sendo acompanhadas diariamente para identificar se vão permanecer nessa fase ou se passam para essa onda com medidas mais duras. 

Crise

O anúncio do governo ocorreu na mesma data em que o Estado teve o segundo pior dia da pandemia. Nas últimas 24 horas, conforme a Secretaria Estadual de Saúde, foram confirmados 227 mortes e 6.565 novos casos da Covid-19. Com isso, Minas soma 893.645 infectados e 18.872 vidas perdidas por causa da doença. 

A crise sanitária é tão severa que, hoje, o Estado tem seis microrregionais de saúde com mais de 80% dos leitos de UTIs ocupados por pacientes com Covid-19. O quadro afeta 44 cidades nas regiões Centro, Nordeste, Noroeste e Sudeste do Estado, onde vivem 538.785 pessoas.

Fonte: O Tempo